Saltar para o conteúdo
Tendências Educacionais para a próxima década

Conheça mais sobre a educação do futuro no Brasil e no mundo!

Gestores, diretores, professores e outros integrantes do universo escolar estão em contato direto com os problemas atuais na educação, que necessitam que os solucionadores desprendam tempo e esforço nas discussões que podem promover as melhorias necessárias à educação.

É claro que a busca por melhorias e soluções para a educação do futuro são constantes, como é o caso das novas competências e habilidades presentes na BNCC, que sempre é amplamente discutida e atualizada.

A Base Nacional Comum Curricular visa essa mudança mais profunda na educação e já é possível notar grandes avanços tecnológicos das últimas décadas, mas muita coisa ainda está por vir.

Quer saber quais são as principais tendências para o futuro da educação no Brasil? Então, acompanhe a leitura e confira tudo que o Edify preparou para você saber o que pode – e deve – mudar em sua escola nos próximos anos!

Converse com um dos nossos consultores!

Como será o futuro da educação? Conheça 6 tendências!

Metodologias de ensino ultrapassadas e pouco eficientes, não aproveitamento correto de todo o potencial da tecnologia no ensino, números cada vez menores de retenção de estudantes – os problemas pertinentes ao sistema de educação atual podem ser vistos por diversas perspectivas.

A educação do futuro tem como objetivo principal transformar o modo como transmitimos o conhecimento e preparamos o estudante para que ele seja o protagonista de sua formação. Conheça agora as principais tendências do futuro da educação e quais são os benefícios para sua escola:

1- Metodologias Ativas de Ensino

Partindo da ideia que o aluno deve ser o principal atuante do seu aprendizado, as metodologias ativas são as principais ferramentas da atualidade para que esse objetivo seja cumprido.

Nessa perspectiva de ensino, acredita-se que o estudante não alcançará seu máximo potencial se adotar uma postura passiva, atuando como um mero receptor em sala de aula.

Podemos citar o “aprendizado baseado em problemas” como um exemplo de estratégia de metodologia ativa. Nela, o estudante deve buscar a solução para um problema e, dessa forma, construir seu conhecimento na prática. Por sua vez, o professor atua como um mediador do conhecimento, oferecendo insumos que possibilitam a construção do conhecimento real para a resolução da problemática.

Nesse exemplo, é necessário que haja uma participação ativa do estudante que utilizará suas capacidades e conhecimentos para resolver um desafio que promoverá seu aprendizado.

Quer saber mais sobre as metodologias ativas para a construção de uma educação inovadora? Temos um post completo sobre o assunto aqui no blog que vale a pena conferir!

2- Educação híbrida

Estamos em um período de transição em que os modelos de educação presencial e a distância podem ser alternados em momentos específicos.

O período de pandemia nos obrigou a adotar novas abordagens para promover o processo de ensino-aprendizado, por isso, podemos dizer que o modelo de educação híbrida não é mais uma tendência para o futuro, mas sim uma realidade para muitas instituições de ensino nos dias atuais.

Esse formato, quando aplicado de maneira eficiente, traz flexibilidade para as aulas e também impacta positivamente o engajamento da turma, que tem bem mais afinidade com as tecnologias que temos à nossa disposição atualmente.

Além disso, também existem estratégias de metodologias ativas que vão de encontro com o modelo híbrido de ensino, como é o caso da sala de aula invertida. Nessa estratégia, a ideia é que o estudante tenha acesso aos materiais em casa e chegue na sala de aula com o conhecimento necessário para participar e agregar conhecimento às discussões que são mediadas pelo professor.

Nesse sentido, sem dúvidas, podemos afirmar que a educação híbrida é uma forte tendência para os próximos anos!

3- Tecnologia em sala de aula

Durante a pandemia, observamos um movimento muito interessante nas escolas: a implementação de recursos tecnológicos e busca por inovação técnica para suprir as novas demandas da educação. E essa tendência veio para ficar!

Sabemos que a inovação pode ter muitos formatos e aplicações, mas o uso da tecnologia na educação já nos provou que há múltiplos benefícios para a comunicação e para o aprendizado do estudante. Além de garantir o engajamento, a tecnologia em sala de aula também abre portas para a aplicação das metodologias ativas, o que gera uma aula muito mais participativa e dinâmica.

A Abordagem Baseada em Projetos, a Gamificação, o Design Thinking, a cultura Maker, o Ensino Híbrido, entre outros, serão as metodologias aliadas à tecnologia que irão despertar o interesse do aluno e propiciarão que ele seja o centro de seu aprendizado, garantindo um estudante apto a viver em um mundo em constante evolução tecnológica.

4- Avaliação holística

Quando falamos sobre avaliação, é quase automático pensarmos em provas e trabalhos. Ocorre, no entanto, que quando oportunizamos ao nosso aluno o desenvolvimento de competências e habilidades, estamos trabalhando de forma holística com eles, possibilitando uma avaliação mais profunda do seu aprendizado e até mesmo uma autoavaliação.

Precisamos entender que não faz mais sentido, portanto, avaliar os estudantes somente no formato de decoração e replicação de conteúdo.

Desse modo, a diferença entre avaliar e atribuir nota ficará cada vez mais clara. Avaliar é um processo longo e complexo, que inicia no primeiro dia de aula e acompanha o aluno durante o ano todo. Envolve não só a observação constante do professor, mas a autorreflexão do estudante sobre seu próprio processo de aprendizagem.

O envolvimento das famílias também é essencial, já que o sucesso escolar da criança não depende apenas da escola. Com todos esses aspectos a serem considerados, vemos que dar nota é apenas uma parte de um conjunto de ações que visam a formação integral do estudante.

Aproveite e leia também: Como usar a tecnologia educacional para mensurar o aprendizado?

5- Edtechs

Até aqui já deu para perceber a importância da tecnologia para a educação do futuro, certo? Saiba que isso vai mais além do que parece, já que novas startups focadas nos problemas atuais da educação estão a todo vapor, são as edtechs! A palavra vem da junção entre EDucation e TECHnology. Bem intuitivo, certo?

Uma pesquisa feita em 2020 apontou que já existem, pelo menos, 566 edtechs no Brasil, simplesmente o maior segmento de startups na época (17,3%).

O Edify Education é um das muitas edtechs que surgiram nos últimos anos e se destacaram, trazendo um novo panorama para educação, com soluções de programa bilíngue, Metodologias Ativas de Ensino e um método inovador para o Novo Ensino Médio, sem dúvidas, tendências muito fortes para os próximos anos no cenário educacional!

6- Educação Bilíngue

O Conselho Nacional de Educação (CNE) disponibiliza em sua página o documento atualizado com a regulamentação da Educação Bilíngue no país, as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Bilíngue. Essa abordagem já se mostra uma realidade em muitas escolas que buscam proporcionar um modelo de ensino-aprendizado que vai de encontro com a globalização para seus alunos.

Portanto, com o foco na Educação Bilíngue, inúmeras oportunidades de desenvolvimento batem à porta das escolas, o que também é um imenso diferencial para a instituição que a oferece. Alguns benefícios que a Educação Bilíngue traz com ela são:

  • Maior estímulo cognitivo para os alunos;
  • Caminho mais fácil para a implementação da interdisciplinaridade na escola;
  • Promoção do trabalho socioemocional;
  • Ambiente que valoriza e estimula a diversidade;
  • Construção de um enorme repertório cultural.

O ensino bilíngue é imprescindível para o futuro da educação, por isso, as escolas que já estão investindo ou pretendem em um programa bilíngue para se diferenciar no mercado e acompanhar essa tendência se mostram instituições atualizadas e que estão atuando para se manter relevante no mercado.

É claro que a educação bilíngue possui seus desafios, e saiba que muitos deles estão relacionados com a falta de informação assertiva a respeito do tema. Aqui no blog do Edify, você confere o que David Marsh – criador do sistema CLIL – diz sobre os desafios da educação bilíngue. Aproveite o conteúdo e até a próxima!

Saiba mais sobre os programas Edify!

Compartilhe esse texto!

Avatar de Edify Education

Edify Education

O Edify Education está presente em centenas de escolas em todo o Brasil. Com a missão de proporcionar uma educação bilíngue de alta qualidade para todos, nascemos para promover evoluções reais, que refletem no protagonismo de cada aluno na própria jornada de aprendizagem. Nossas soluções nos levou a ganhar vários prêmios, como o 3° lugar no prêmio de votação popular Top Educação 2021 e o 1º lugar no ELTons Innovation Awards.

Veja textos relacionados:

autonomia infantil

O que significa desenvolver a autonomia na Educação Infantil?

Promover a autonomia na educação infantil significa fazer com que as crianças saibam que possuem controle sobre si mesmas e sobre as escolhas que podem fazer. Das atividades em que participam até como brincam e…

Pensar como um computador desenvolve habilidades para o sucesso?

O pensamento computacional é o passo que vem antes da programação. É o processo de dividir um problema em etapas simples o suficiente para que até um computador entenda. Afinal, sabemos que os computadores interpretam as…