Saltar para o conteúdo
lingua_inglesa

Pesquisas revelam aumento do desejo de alunos de se aproximarem da língua inglesa

A necessidade e o desejo de conhecimento da língua inglesa ultrapassaram o campo dos sentimentos ou da ambição e transformaram-se em números reais, que mostram o apelo dos alunos para um maior contato com o idioma.

Seja por meio da cultura pop, seja pelo incentivo de filmes e músicas ou, ainda, devido a uma maior visão de futuro, com foco no mercado de trabalho, o fato é que, ano após ano, crianças e adolescentes almejam estar mais próximos do inglês, o que, naturalmente, reforça o desejo de um aprendizado imersivo nesse segundo idioma.

Aliás, dados vêm comprovando que esse desejo, que, antes, vinha como uma sensação, agora, é explícito e ascendente. Por exemplo, de acordo com a Associação Brasileira do Ensino Bilíngue, em recente divulgação, a procura por escolas bilíngues cresceu 10% nos últimos anos.

Veja, neste artigo, esse e outros dados que enfatizam o aumento na busca por proficiência na língua inglesa.

50% dos estudantes querem aprender mais o inglês

Para compreender melhor a situação do ensino desse idioma nas escolas, o Escritório Regional de Língua Inglesa (RELO) da Embaixada e dos Consulados dos EUA no Brasil divulgou uma pesquisa — a maior já realizada sobre o assunto — denominada “Ensino e Aprendizagem de Língua Inglesa no Brasil: Desafios e Oportunidades”.

Para Jennifer Uhler, Diretora do RELO, “esse relatório é apenas um recorte da realidade atual e aponta vários dos aspectos já mencionados e debatidos por especialistas e profissionais atuantes na área no Brasil, mas com um grande diferencial: através dos dados coletados durante a Olimpíada de Inglês, incluindo aspectos apontados por profissionais, conseguimos observar, analisar e evidenciar a necessidade do aprendizado da língua de modo eficaz, com o estímulo e envolvimento de todos”.

O levantamento tinha por objetivo identificar o status da língua com ênfase no desejo dos estudantes. Os dados foram coletados a partir de uma pesquisa com 18.304 pais e responsáveis, 4.143 professores e 137.015 alunos dos ensinos Fundamental II e Médio, que, por sinal, também fizeram um teste de conhecimento do idioma. Aliás, cerca de 76% desses estudantes eram de instituições públicas, e a região com maior participação foi o Nordeste (49%), seguida pelo Sudeste (25%), Norte (11%), Sul (9%) e Centro-Oeste (6%).

Entre os resultados desse compilado de dados ricos, alguns chamaram a atenção, como a exposição do aluno ao idioma. 50% dos estudantes responderam que esse é o maior desafio, no que se refere às oportunidades para interagir, aprender e praticar inglês. Nesse ponto, a tecnologia e o apoio familiar também se revelaram dois pilares importantes para o aumento desse contato com a língua.

Ainda em rede de apoio, foi destacado que 46% declararam não participar dos estudos de inglês dos seus dependentes. Apenas 5% afirmaram que conversam em inglês com os jovens e, no grupo dos estudantes que melhor pontuaram, houve um aumento em 18% dos pais nessa prática.

Tenha acesso a dados que te ajudam nos desafios escolares

Tecnologia como forte aliada no ensino-aprendizagem

Nenhum outro dado, porém, chamou mais a atenção do que o relacionamento com a tecnologia.

Ainda de acordo com a mesma pesquisa, em relação à pergunta “Caso um aplicativo de smartphone, focado no ensino de inglês, fosse implementado na escola regular, isso o motivaria a aprender o idioma?”, 91% responderam que sim.

Dessa forma, do lado docente, os dados se complementam: 96% disseram que a incorporação dos smartphones em aula incentivaria os alunos. Além disso, 93% responderam “sim” quando questionados se a gamificação em aula teria um efeito positivo.

Extraindo outros dados da mesma temática, temos que apenas 57% alegaram ter algum tipo de acesso à rede durante as aulas. Além disso, em relação a esse percentual, interpreta-se que quase metade dos professores só utiliza a internet em casa.

Nesse sentido, algumas soluções do mercado podem ajudar o professor a aumentar o contato digital em sala de aula, como o Edify Play, do Edify, uma plataforma acadêmica conectada.

Com ela, enquanto os alunos têm acesso a conteúdos e atividades complementares, com variação de formato em áudio, vídeo e até exercícios de fixação, os gestores e toda equipe docente também são contemplados com dashboard de acompanhamento do aprendizado dos alunos e banco de atividades adicionais, como homework.

Além desse arsenal de possibilidades, uma ferramenta chama a atenção e é a queridinha dos professores: o Classware, que permite a eles o acesso e a projeção do conteúdo dos materiais didáticos em quadro digital interativo. Assim, todos os alunos acompanham juntos e de maneira acessível o que está sendo ensinado.

A ideia de incluir esse tipo de tecnologia é potencializar e expandir a experiência de ensino e aprendizagem bilíngue, oferecendo as melhores experiências digitais de aprendizado. Tudo isso de forma envolvente, personalizada, integrada e mensurável.

Outros dados que explicam esse desejo de aprender em ascensão

Dados de uma agência de recrutamento revelam que o estagiário ou o trainee com inglês fluente ganha mais que o dobro do que o colega de função com inglês básico. Profissionais com diploma de curso superior recebem 65% a mais e, se for diretor, 90% a mais.

“As empresas buscam os profissionais que tenham a capacidade técnica para fazer aquela função e que também consigam se comunicar com os outros países e com os profissionais que estão alocados em outros países, especialmente no trabalho remoto, e isso exige que o inglês faça parte dos requisitos das vagas que são publicadas”, afirmou Fernando Morette, presidente da Catho, durante entrevista ao Jornal Nacional.

Como transformar números em realidade

Está mais do que provada a necessidade da língua inglesa para corresponder ao desejo de crianças e adolescentes. Mas como colocar isso em prática e ter esse apelo como diferencial para sua escola?

É mais simples do que parece. O Edify Education reúne tudo o que as escolas, os professores e os alunos precisam para fazer dessa geração uma geração bilíngue. São diversos programas que levam até a unidade escolar um conjunto de ferramentas e metodologias voltadas ao ensino da língua inglesa de forma personalizada e tecnológica.

Formada por uma equipe de educadores especialistas no assunto, o Edify leva o método bilíngue para dentro das escolas com uma visão multidisciplinar que pode envolver o ensino do inglês em formato inovador por meio de metodologias ativas que desenvolvam o indivíduo de maneira integral ou, ainda, associar tudo isso com o ensino de habilidades digitais.

É uma soma de material didático com excelência em inovação, equipe pedagógica qualificada com mentores que possuem mais de 10 anos de sala de aula e, ainda, uma plataforma tecnológica com diferentes modalidades, com conteúdos interativos, assíncronos e personalizados para todos os níveis.

Para saber mais e unir sua escola a essas estatísticas, fale com a gente!

Compartilhe esse texto!

Veja textos relacionados:

lingua_estrangeira

Língua Estrangeira: Conceito e Importância

Vivemos em um mundo superconectado, em que saber mais de um idioma é quase como ter um superpoder. Aprender uma língua estrangeira não só abre portas para novas oportunidades, mas também enriquece a nossa vida…

globalizacao

Globalização: o que é, origem e impactos

Na era atual, o termo “globalização” é onipresente, mas o que realmente significa? De onde surgiu e como tem moldado nossa sociedade? Este artigo explora essas questões fundamentais e mergulha nos impactos que a globalização…