Saltar para o conteúdo
curadoria_bett_brasil

Curadoria Bett Brasil 2023: explorando novos horizontes de aprendizagem

Vamos mergulhar nos principais assuntos discutidos durante a Bett Brasil 2023, a maior feira de educação e tecnologia da América Latina. Aqui, apresentaremos um resumo do E-book produzido pelos especialistas do Edify, sendo uma referência no assunto inovação educacional.

A inteligência artificial

A inteligência artificial (IA) tem sido parte integrante do nosso dia a dia há mais de uma década, sendo aplicada em atividades como pesquisas no Google e em plataformas de aprendizagem. No entanto, a grande diferença, agora, é a democratização da IA, tornando-a acessível a qualquer pessoa.

A revolução da educação: o papel da inteligência artificial

A tecnologia desempenha um papel fundamental na revolução da educação. Durante as palestras realizadas no congresso da Bett Brasil 2023, com renomados especialistas, vários aspectos da IA na educação foram abordados, enfatizando sua importância e impacto.

A futurista e especialista em tecnologia, Martha Gabriel, ressaltou a importância de os professores compreenderem a IA antes de usá-la na sala de aula. Destacou que é responsabilidade dos professores conhecer as ferramentas e orientar os alunos em sua utilização, bem como estimular o pensamento crítico para otimizar o uso da IA. Imaginemos que um professor de inglês, por exemplo, peça aos alunos que escrevam um parágrafo sobre como se sentem quando estão na natureza. Assim, em vez de proibir que os alunos produzam seus textos por meio de uma inteligência artificial como o ChatGPT, o professor pode trabalhar com eles esse pensamento crítico para construir perguntas melhores e refinar o conteúdo produzido. A ideia é que a IA seja uma aliada e não uma ferramenta da qual sejamos dependentes, não é?

As autoras Dora Kaufman e Lucia Santaella alertaram sobre a mudança radical na forma de lidar com o conhecimento devido à IA. Elas defendem a necessidade de estratégias específicas para diferentes níveis de aprendizado e o estabelecimento de uma relação de confiança entre professores e alunos. Os gestores escolares desempenham um papel crucial nessa transformação, adotando uma abordagem responsável e integrada para o uso da tecnologia em sala de aula, preparando professores e alunos para um processo de ensino-aprendizagem mais eficiente, inclusivo e personalizado.

Na palestra sobre “Formação de professores X Desenvolvimento Profissional

Docente”, Patricia Auerbach e Sara Hughes compartilharam insights valiosos sobre o papel dos gestores na facilitação do desenvolvimento dos professores. Incentivar os professores e experimentar novas abordagens em sala de aula, criar um ambiente aberto a erros e promover a colaboração entre professores são práticas fundamentais para a transformação emocional.

Os professores precisam compreender e direcionar o uso da IA, estimulando o pensamento crítico dos alunos, já os gestores escolares têm a responsabilidade de promover uma abordagem responsável e integrada do uso da tecnologia em sala de aula. Ao adotar estratégias certas e promover o desenvolvimento profissional dos professores, é possível dar um boost no ensino-aprendizagem e transformar a educação.

Aqui no Edify, reconhecemos a importância de formar e capacitar os professores para proporcionar a melhor experiência de ensino de inglês. Para isso, oferecemos um programa abrangente de formação contínua, que prepara os professores para conduzirem aulas envolventes e inovadoras. Por meio de uma trilha personalizada e acompanhamento individual, garantimos o desenvolvimento dos professores em sua jornada educacional.

Formação de professores e uso de dados na educação: o caminho para a melhoria contínua

Durante a palestra “Tornando a Aprendizagem uma Prioridade: Utilizando Dados e Indicadores Educacionais para a Melhoria Contínua”, conduzida por Reinaldo Fernandes, Letícia Maggi e Cauê Lavor, foi destacada a importância dos dados no contexto educacional.

Sob uma perspectiva de gestão escolar, os dados desempenham um papel fundamental no processo de aprendizagem. Eles devem ser integrados aos pilares de currículo, avaliação e formação de professores, com o objetivo de personalizar a experiência educacional dos alunos. Os dados se tornam aliados ao permitir a identificação de pontos fortes e fracos, orientando ações mais efetivas e fornecendo transparência sobre a evolução dos alunos aos responsáveis.

Como educadores do presente e do futuro, reconhecemos a importância de trazer os dados para o centro das discussões sobre educação, uma vez que, quando utilizados de forma estratégica, podem impulsionar melhorias contínuas na área, tornando-a mais eficiente e personalizada. Além disso, é fundamental integrar a formação de professores e o uso de dados para garantir uma educação de qualidade e preparar os alunos para os desafios do mundo atual.

Uso de dados na personalização do ensino

Na palestra inspiradora ministrada por Raquel Carlos, diretora acadêmica do Edify, foi destacado o uso de dados na personalização do ensino. Raquel enfatizou que o ambiente de aprendizagem é uma fonte valiosa de dados e que é nosso papel, enquanto educadores, transformá-los em informações que beneficiem o aprendizado. Com o avanço dos ambientes digitais de aprendizagem, temos testemunhado uma explosão na geração de dados provenientes das interações dos alunos com outras pessoas, ferramentas e conteúdos, por isso, é fundamental que alunos e professores assumam um papel cada vez mais ativo na compreensão e utilização dessas informações.

Raquel atribui aos gestores a responsabilidade de compreenderem esses dados e aprimorarem a capacidade de tomada de decisão nas escolas, identificando padrões de boas práticas e alunos que necessitam de maior suporte. De acordo com ela, as principais razões para personalizar o ensino são encontrar os alunos onde eles estão e capacitá-los a continuar desejando aprender. Isso implica oferecer mais oportunidades de preencher as lacunas de aprendizado para os alunos que precisam, bem como proporcionar condições para que eles avancem rapidamente e se desenvolvam ainda mais. Essa abordagem focada nas necessidades individuais de cada aluno promove o engajamento acadêmico, resultando em melhor aproveitamento e desempenho geral da escola. Isso, por sua vez, aumenta o reconhecimento da escola e a torna mais atrativa a novos estudantes.

Neurociência em sala de aula

Telma Pantano, na palestra intitulada “O que o cérebro nos ensina sobre aprender”, levou-nos para uma viagem pelo mundo da Neurociência aplicada à educação. Com sua experiência como professora e sua paixão por desvendar os segredos do cérebro, Telma ressaltou a importância de compreender como cada aluno aprende de maneira única.

Telma nos lembra de uma afirmação poderosa: “Só sabe ensinar quem sabe como aprender”, e isso nos faz perceber a importância de nos conhecermos como aprendizes para nos tornarmos melhores educadores. Embora o cérebro busque automatizar processos, inclusive o ato de ensinar, é crucial questionar como sair do modo automático para garantir uma aprendizagem eficaz.

Um dos aspectos fundamentais abordados por Telma é o tempo de atenção dos alunos, que é mais curto do que muitos imaginam. Enquanto os adultos têm uma média de 10 a 15 minutos de atenção, as crianças possuem um tempo ainda mais curto, entre 5 e 7 minutos. Por isso, é essencial planejar cuidadosamente as aulas, para trabalhar dentro dessas janelas de atenção, tornando o aprendizado mais envolvente e efetivo.

E aí, ficou empolgado com tudo que abordamos até aqui? Para se aprofundar ainda mais em todos os temas discutidos neste artigo e explorar as ideias incríveis apresentadas na Bett Brasil 2023, convidamos você a fazer o download do E-book completo produzido pelos especialistas do Edify. Você encontrará uma riqueza de informações, análises aprofundadas e insights valiosos que vão transformar sua visão sobre educação e tecnologia. Faça o download e mergulhe de cabeça nesse universo da inovação educacional!

Faça o download da curadoria completa da Bett!

Bilinguismo: preparando os alunos para um mundo em transformação

Durante a Bett, rolaram muitas discussões sobre educação bilíngue, e ficou bem claro o quão importante é ter uma educação que vá além do básico e prepare os alunos para encarar um mundo que está sempre mudando.

É hora de ir além das aulas pouco envolventes de gramática; o negócio é entender o tal do mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo) e como o ensino de inglês se encaixa nesse contexto global.

No entanto, há algumas pedras no caminho, como a obsessão em ensinar só a estrutura da língua e as condições desfavoráveis para aprender. Para superar esses desafios, precisamos repensar a forma como abordamos o ensino de línguas. Não é só melhorar as notas dos alunos em testes de competência, mas, também, desenvolver habilidades interculturais. Ah, e não podemos nos esquecer dos professores, que fazem tudo acontecer e precisam de suporte. A mudança não é só responsabilidade deles, mas, sim, do sistema educacional inteiro.

Dessa forma, é importante incluir conteúdos relevantes no aprendizado do inglês e repensar a formação dos professores, preparar os alunos para os desafios de um mundo que está sempre virando de cabeça para baixo. Vamos desenvolver suas habilidades linguísticas, interculturais e cognitivas.

E aí? Já está pronto para colocar tudo em prática? Conte com a ajuda do Edify!

Estamos ao seu lado para enfrentar todos os desafios que a educação bilíngue traz. Que tal conversar com um de nossos especialistas e encontrar a solução ideal para a sua escola?

Diferencie a sua escola!
Compartilhe esse texto!

Veja textos relacionados:

combate_ao_bullying

Combate ao bullying: 5 atividades para as aulas de inglês

A cada ano, pessoas ao redor do mundo se unem para reforçar a importância de uma luta diária: o combate ao bullying, incentivando a empatia e fortalecendo os laços de afeto. Substantivo da língua inglesa,…

dia_internacional_das_mulheres

Dia Internacional das Mulheres: 8 Ideias Para as Aulas de Inglês

O Dia Internacional das Mulheres é uma celebração global que reconhece as conquistas e a luta contínua das mulheres por igualdade de direitos e oportunidades. Essa data, comemorada em 8 de março, oferece uma oportunidade…