Saltar para o conteúdo
panorama-ensino-bilingue

Edify traz pesquisa inédita sobre o panorama do ensino bilíngue no Brasil

Os desafios na educação brasileira são velhos conhecidos, principalmente quando tratamos de qualidade de ensino e retenção de alunos para consolidar projetos e iniciativas nas escolas. Todo gestor já sabe que, ano após ano, é necessário se reinventar para se manter competitivo, e não é de hoje que o bilinguismo tem chamado atenção nesse sentido.

A partir da conscientização acerca da importância da aquisição do idioma adicional para o desenvolvimento pessoal e profissional, bem como do quão plural e globalizado o mundo tem se tornado, ao mesmo tempo que é fundamental para as escolas ter um diferencial claro, a busca por instituições que apresentam a vertente educacional bilíngue cresce a cada dia no Brasil.

Para se ter ideia desse processo de evolução e uma amostra desse desejo crescente das escolas, a Associação Brasileira do Ensino Bilíngue (ABEBI) informa que já são mais de 1,2 mil escolas bilíngues em território nacional.

E como dito, essa é uma tendência comprovada. Segundo a ABEBI, a quantidade de escolas bilíngues no Brasil cresceu cerca de 10% entre 2014 e 2019. Para complementar, após essa data, de 2019 a 2023, a quantidade de alunos atendidos por programas bilíngues do Edify Education, por sua vez, mais do que sextuplicou.

Pensando em atualizar números e trazer para os gestores um retrato real do ensino bilíngue no país, o Edify elaborou uma pesquisa rica sobre o assunto (disponível gratuitamente) e que vamos abordar neste conteúdo.

Mas antes, para termos um único fator direcional: o que é a vertente educacional bilíngue?

Por vertente educacional pode-se compreender um segmento específico da educação. Existem diversas vertentes para o sistema educacional e cada uma delas é pensada por estudiosos e especialistas no tema para, posteriormente, ser adotada pelo sistema de ensino.

Assim, no caso da vertente educacional bilíngue, o que temos é uma espécie de departamento da educação que prima pelo ensino e pela aprendizagem de conteúdos em diferentes línguas.

Ele busca, acima de tudo, que os estudantes tenham uma verdadeira imersão na língua estrangeira e, a partir disso, condições de dominar fluentemente dois idiomas por meio da leitura, escuta, compreensão, interpretação e fala em ambas as línguas.

Diante disso, podemos prosseguir para entender o panorama desse ensino.

Pesquisa Edify “Panorama do Ensino Bilíngue na Educação Privada Brasileira”

Com o objetivo de trazer à luz o cenário da educação de inglês dentro de escolas particulares brasileiras sob uma ótica administrativa, o Edify Education disponibiliza ao mercado um levantamento rico sobre o bilinguismo na prática.

O relatório traz as principais informações e descobertas que resultaram de uma pesquisa quantitativa realizada com gestores escolares da rede privada durante os meses de fevereiro e março de 2023. Ao todo, esse documento traz respostas de diversos profissionais espalhados em 25 estados do país e Distrito Federal.

O público respondente é formado por diretores, mantenedores e coordenadores de escolas privadas brasileiras. Dos entrevistados, 72% já contam com programas bilíngues em suas escolas, ao passo que 28% dos respondentes ainda não.

Para acessar a pesquisa completa, clique aqui.

O que motiva a inclusão do ensino bilíngue

São diversas as informações que merecem atenção na leitura dos dados, e uma delas que chama a atenção diz respeito ao que motiva a implementação de programas bilíngues.

Quando perguntados, 57% dos diretores, mantenedores e coordenadores apontaram como principal objetivo oferecer aos estudantes “inglês de qualidade”; já outro grande grupo, representado por 38% dos respondentes, busca diferenciação no mercado de sua região; por fim, 5% alegaram ter contratado um programa bilíngue como resposta a uma demanda ativa dos pais.

Isso demonstra, de forma muito objetiva, que a própria escola já despertou um senso de urgência para oferecer um inglês de qualidade, e isso também se deve ao processo pandêmico, com a proliferação do trabalho remoto pós-Covid, que jogou luz sobre a importância de um idioma global. Somada a essa necessidade, há uma defasagem latente. De acordo com a pesquisa “Demandas de aprendizagem de inglês no Brasil“, realizada pelo British Council, apenas 5% dos brasileiros falam inglês.

O que a escola tem a ganhar

Outro fator interessante de análise é o impacto do ensino bilíngue nas finanças e nos rendimentos na administração escolar.

Embora a educação privada no Brasil tenha sofrido com a instabilidade econômica dos últimos anos, as escolas que implementaram programas bilíngues se descolaram do cenário nacional em sua maioria. Cerca de 83% das instituições que adotaram esse tipo de ensino ganharam alunos depois da implementação do programa. Em especial, aproximadamente, 1 em cada 3 escolas chegou a crescer mais de 40%, e isso sem contar o acréscimo no valor da mensalidade.

Essas e outras informações podem ser encontradas diretamente na pesquisa, como o porte das escolas, as etapas de ensino em que o bilinguismo tem sido mais frequente, a quantidade de horas de ensino, em qual modelo e outros detalhes sobre o programa.

Acesse dados para vencer os desafios escolares!

Próximos desafios

Todos esses dados coletados evidenciam a forte expansão do modelo de ensino bilíngue em escolas privadas no país. Por outro lado, eles levantam um importante sinal de alerta: se as escolas que ainda não possuem programa bilíngue demorarem na escolha de um parceiro, poderão deixar de usufruir de um forte diferencial competitivo. Afinal, a parceria de escolas privadas com programas bilíngues tende a crescer de forma bastante acelerada em um horizonte de médio a longo prazo.

A pesquisa também abordou as dificuldades de fazer o ensino bilíngue acontecer. Quando questionadas sobre os principais desafios de oferecer um inglês de qualidade, as escolas que já contam com programa bilíngue elencaram duas principais angústias: ter professores qualificados (38%) e tornar o aprendizado dos alunos visível às famílias (30%). Essas preocupações reforçam um ponto crítico para o sucesso da implementação de um programa bilíngue dentro da escola: a escolha do parceiro certo.

O Edify Education está pronto para atravessar os desafios com as escolas e fazer com que aproveitem o diferencial competitivo do ensino bilíngue sem complicações. Com o Edify, a escola conta com facilidade e praticidade para a inclusão do programa, tendo diversos materiais e propostas multimídia para que isso aconteça.

A atenção ao corpo docente é outro ponto de destaque. Diante disso, todo um cenário de infraestrutura e suporte aos professores é criado, com ferramentas para que o ensino-aprendizado bilíngue seja prazeroso tanto para o aluno quanto para o professor, como é o caso do Teacher’s Toolkit.

Dessa forma, toda comunidade escolar sai ganhando!

Para saber mais informações sobre o panorama do ensino bilíngue no país, acesse este levantamento rico em informações.

E se você deseja ser parte da história do bilinguismo em solo nacional e fomentar o processo de ensino e aquisição de conhecimento da língua adicional, entre em contato e não deixe de acompanhar o blog do Edify para mais atualizações.

Diferencie a sua escola!
Compartilhe esse texto!

Veja textos relacionados:

lingua_estrangeira

Língua Estrangeira: Conceito e Importância

Vivemos em um mundo superconectado, em que saber mais de um idioma é quase como ter um superpoder. Aprender uma língua estrangeira não só abre portas para novas oportunidades, mas também enriquece a nossa vida…

globalizacao

Globalização: o que é, origem e impactos

Na era atual, o termo “globalização” é onipresente, mas o que realmente significa? De onde surgiu e como tem moldado nossa sociedade? Este artigo explora essas questões fundamentais e mergulha nos impactos que a globalização…